Top 10 Cenas com Música


“A primeira coisa a lembrar sobre qualquer lista Top 10 é que elas não são confiáveis. Uma lista Top 10 é quase invariavelmente resultado de caprichos do dia. Você pode estar se sentindo sentimental demais ou melancólico, e de repente seu Top 10 é um diário surrado dos seus sentimentos no infeliz dia que fez lista. Ou você pode estar se sentindo militante a respeito de uma banda obscura ou um filme raro, só pra depois você ver sua proclamação registrada, e se perguntar depois como eu chamei o/a (digite o nome do artista medíocre) de grande visionário?
É um negócio sério, essa lista Top 10, especialmente quando fala de grandes momentos de música em filmes. Uma lista assim deve ser marinada, trabalhada com calma e dormida. Um grande filme não precisa de música para existir e uma grande canção já é um filme perfeito em nossa imaginação. Mas às vezes o casamento funciona e o resultado é uma grande explosão, uma junção perfeita de corpos que engrandece ambos enquanto agita a sua alma.”

Cameron Crowe, cineasta e crítico de rock.

Esse é o prólogo da lista dele. Peguei emprestado para fazer a minha própria lista.

Sem marinar.

1 – Quase Famosos (Elton John – Tiny Dancer)

Pra fazer uma lista de melhores momentos de música num filme tem que colocar Cameron Crowe. É redundante. Claro que ele não se colocou na própria lista. Uma falsa modéstia. Não faz mal. A homenagem ta feita aqui. Cena linda, tocante, que mostra o poder de uma grande música pop que faz-nos sentirmos bem e no instante onde os personagens tentam lidar com suas diferenças, canta-la juntos une-os mais ainda. São todos diferentes mas estão intimamente ligados pela mesma coisa. A boa música.

2 – Cães de Aluguel (Steelers Wheel – Stuck in the middle with you)

Claro que se não pode faltar Cameron Crowe, também não pode faltar Tarantino. Essa cena de “Cães de Aluguel” é a famosa da tortura. Mr Blonde (Michael Madsen) tortura um policial com socos, cortando a orelha fora e dando banho de gasolina. A música aqui tem um papel quase aleatório, já que está tocando na rádio no momento da tortura. Ou seja, não é pra ter um envolvimento direto com a ação, mas é claro que Tarantino escolheu ela por ser leve, divertida e grudante para contrastar com a imagem grotesca da violência. Inequecível.

3 – Juno (The Moldy Peaches – Anyone Else But You)

Uma palavra. Fofo. Belo final de filme. Adolescentes tratados como adolescentes lidando com adolescentes. Puro, ingênuo, efêmero e belíssimo. Mérito do diretor “100% filmaços” (2 até agora) Jason Reitman, da antenada roteirista Diablo Cody e da atriz Ellen Page que ajudou na trilha sonora do filme.

4 – Dr Fantástico (Vera Lynn – We´ll Meet Again)


Sou suspeito pra fazer qualquer lista. Sempre vou colocar meus favoritos. E esse é o meu filme favorito (TOP 3, pelo menos). No final quando o mundo está prestes a acabar graças a explosões nucleares em série, vemos imagens lindas dos cogumelos atômicos com uma música fofa e otimista. Nos encontraremos de novo. Não sei onde. Não sei quando. Mas eu sei que nos encontraremos de novo num dia ensolarado. Kubrick e seu otimismo doentio com a vida após a morte.

5 – A Vida de Brian (Eric Idle – Always Look On The Bright Side Of Life)


Uma comédia brilhante do Monty Python que tira sarro dos filmes religiosos, da política, da história como é contada, do fundamentalismo, do espetáculo da morte e de qualquer coisa que se atreva a aparecer na frente. O final com os crucificados cantando e assoviando a canção torna qualquer final triste em feliz (ou menos triste). Tanto que eu usava essa música para despertador. O dia sempre começava com um sorriso.

6 – Taking Off – Procura Insaciável (Vários Artistas)


O filme é o primeiro filme do Milos Forman na América e aparentemente narra a saga sobre pais em busca de seus filhos adolescentes que fogem de casa. É muito mais que isso, claro, mas não vou me aprofundar nele hoje. O começo do filme é um dos melhores que já vi. Ele te ambienta nos anos 70, te enraiza e depois você tem que lutar pra sair de lá. São várias audições musicais entre figuraças amadores e profissionais cantando músicas como”Even The Horses Had Wings” e “Ode to a screw” (genial poesia sobre trepadas). Quando a cena e as músicas acabam, a sensação é de despertar, como se acabassemos de sair do cinema e damos de cara com a realidade. Mas nesse filme temos que sair da realidade mais de uma vez. Mágico.

7 – Cidade dos Sonhos (Rebecca Del Rio – Crying)


David Lynch e o Clube Silencio – No hay Banda. Fueda.

8 – Quem Quer Ficar Com Mary (Jonathan Richman – Várias)

Trilha sonora diegética pontuando o filme. Criativo, divertido e raro. Homenagem bacana de estilo dos irmãos Farrely ao gênio Mel Brooks.

9 – Magnolia (Aimee Mann – Save Me)

Uma das 4 obras primas do Paul Thomas Anderson (Boogie Nights, Macgnolia, Punch Drunk Love, There will be blood). Essa tive que concordar com o Cameron Crowe. Cada personagem canta a canção como uma antena emocional para o filme. Lindo, corajoso e original

10 – A Primeira Noite De Um Homem (Simon & Garfunkel – The Sound Of Silence)


A música abre e fecha o filme. Um dos meus filmes preferidos. Uma das minhas músicas preferidas. Só um grande diretor como o Mike Nichols pra fazer um filme que mesmo já tendo uns 40 anos, me faz sentir sempre mais jovem do que eu sou.

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: