Toy Story 3

Inácio Araújo:

“Vi em 3D o novo “Toy Story”. Preferia o 2D, que dará mais conta da gravidade do filme: a melancolia, a finitude, o abandono, o esquecimento, o fim do amor.
É disso que o filme trata. Acho que o Bergman adoraria. O único cinema adulto de Hollywood hoje em dia são as animações. Parece piada.”

Ricardo Calil:

Por que “Toy Story” forma a melhor trilogia do cinema

Em uma crítica sobre “Toy Story 3” para a “Folha de S. Paulo”, defendi a tese de que a série de animação da Pixar formava a melhor trilogia da história do cinema. Depois me contaram que a ideia foi atacada, quando não ridicularizada, em algumas listas de discussão de filmes. O absurdo seria apontar a trilogia de “Toy Story” como superior à de “O Poderoso Chefão”.

Sob o risco de ser alvo do escárnio alheio, eu sustento a afirmação. Por um motivo simples: os dois primeiros episódios da série de Francis Ford Coppola podem ser obras-primas, mas o terceiro é infinitamente inferior (embora críticos que respeito muito não concordem).

Já a trilogia de “Toy Story” começa de forma espetacular, melhora um pouco no segundo episódio e fica um pouco mais brilhante no desfecho. O conjunto não tem pontos fracos.

Se fosse uma disputa que levasse em conta apenas o primeiro filme e sua sequência, “O Poderoso Chefão” seria imbatível. Mas há o problema do terceiro episódio. Não é um problema que acomete apenas a trilogia de Coppola. Aflige também franquias como “Star Wars”, “De Volta para o Futuro”, “Missão Impossível”, “Matrix”, “Homem Aranha”, “X-Men”, “O Exterminador do Futuro”, “Mad Max”, “Robocop”, “Jurassic Park” e até trilogia das cores de Kieslowski.

O terceiro episódio é quase sempre o calcanhar-de-aquiles de uma trilogia. Exceções que confirmam a regra: “Indiana Jones” (o elo fraco é o segundo episódio) e “Identidade Bourne” (que começa devagar e depois engrena). E “Senhor dos Anéis”? Bom, esse tem um desempenho constante: é mais ou menos do começo ao fim. E eu tenho plena consciência de que vou apanhar por essa frase mais do que por deixar “O Poderoso Chefão” em segundo lugar.


Brian Hagemann
:

(spoiler alert)


Ainda estou sem palavras à respeito do filme. Só sinto que deveria comentar a incrível cena do lixão onde os brinquedos estão para serem queimados.
Foi de longe a cena mais envolvente dos últimos tempos no cinema de animação. A fórmula “cliff hanging” de filmes de ação, que envolve o mocinho passando apuros e deixando o espectador tenso, existe a mais de 100 anos, mas ainda funciona. Nesse caso há um diferencial importante. Tanto se os personagens escapam da morte ou se morrem mesmo, soa natural. O roteiro foi tão bem elaborado que ele abre essa gama de possibilidades plausíveis e aceitáveis. E o ritmo da cena impressiona. Você realmente acha que eles vão morrer e você realmente aceita isso como processo natural da história deles. Mais uma barbada para o Oscar 2011. Mais uma obra-prima do cinema. Valeu de novo, Pixar.

  1. nossa, q filme!

    qdo fui ver Toy Story 3 nos cinemas tinha recém terminado de ler o livro “os segredos dos roteiros da disney” e fiquei imaginando qtos anos demorou para se chegar no roteiro definitivo. o processo de criação de uma história para um filme Disney é mto mais elaborado e demorado do que para qualquer outra forma de cinema.

    o filme todo é um primor de narrativa, ms o que mais gostei foi akele inicio, que se passa como uma grande aventura “brincada” pelo Andy com seu brinquedos. No começo não sabemos que é tudo uma brincadeira, que aquela história esta se passando na cabeça da criança enquanto cria com seus brinquedos… ms qdo tomamos conta disso o efeito emocional é muito potente, na hora pensei “PUTAQUEOPARIU esses caras da pixar são gênios”

    • Jamile Gomes
    • 17 julho, 2010

    realmente esse filme é show!🙂

    apesar de ser uma animação e ter como foco o público infantil, faz qualquer adulto se emocionar e relembrar alguns valores.

    Saí decidida a me permitir ser criança sempre que possível. Cheguei em casa entendendo os motivos que levaram minha mae a guardar a minha barbie e a minha boneca predileta … um caderno de cada série escolar … abri a caixa e revivi cada momento, cada fase …
    Simplesmente perfeito🙂

  2. Bom, por causa do Toy Story eu não vou jogar nunca meu lego fora. Esse filme tem uma mensagem parecida com a do melhor filme da década, “Brilho eterno de uma mente sem lembranças”: LEMBRAR É IMPORTANTE!

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: